Entrando em modo avião

Em 28 de junho de 2017 por Carolina Nogueira

 

Este texto lindo foi um pé no freio de angústias que eu nem sabia que tinha sobre as férias escolares dos meus filhos. Chegou na hora certa: junho estava terminando e já me peguei agoniada decidindo viagem, escolhendo colônia de férias, antecipando programações. Repensei. Não é disso que eles precisam pra ficar longe de eletrônicos, pra ter um reencontro com eles mesmos, pra pausar como se deve. Talvez seja exatamente do contrário.

Se é difícil pra gente, que é adulto, desacelerar e renunciar ao automatismo social de estar sempre fazendo coisas, sempre ocupado, sempre conectado, imagina pras crianças. Eles ainda não sabem que isso faz mal. A gente sabe e quase sempre continua – mas saber já é grande coisa. Ensiná-los é o desafio.

Sou aprendiz no assunto, então quero sobretudo ouvir dicas. Privo de eletrônicos e deixo eles encontrarem as alternativas? Prevejo atividades em alguns dias, deixo eles entregues ao próprio tédio em outros? O que funciona pra vocês?

Por aqui, tenho tentado fazer programas diferentes com eles, como esse que a gente descobriu esta semana. Um pequeno complexo de brincadeiras no Lago que funciona dentro do Clube Nipo. Tem essa brincadeira aí, uma bola de ar onde a criança imita Jesus e caminha sobre as águas, e um brinquedão inflável chamado Blob Jump, onde a graça é pular em infláveis gigantes e cair dentro do Lago. Fazia um frio desesperador no dia que a gente foi, mas criança parece que é sapo e não sente frio.

Descobri também essa colônia de férias bem bacana, criada pelo pessoal do Projeto CasOca, que há algum tempo se reuniu para criar coletivamente uma alternativa de contraturno construtiva pras crianças. Essa iniciativa de colônia de férias mistura conceitos de programação, iniciação à gravação de vídeos no celular e expedições urbanas que vão convidar as crianças a descobrir a cidade de transporte público, a pé e de bicicleta.

Vamos pensar juntos em alternativas – mas não muito. Que eles, os protagonistas das férias escolares, tenham também a missão de criar, talvez dentro de casa mesmo, talvez debaixo do bloco ou na rua, o universo próprio da pausa que eles precisam.

 

Bora?

Blob Jump
Clube Nipo
Sábados e Domingos, das 10h às 17h
99618-4402

Colônia de Férias Expedição Digital
De 3 de Junho a 28 de Junho de 2017, com programação semanal
509 norte, bloco D , loja 26, edifício Ísis
3967-0013, 3041-7713, 996957876

  • Alex Watawa

    Idéias, idéias? Não sei bem o quê sugerir porque não conheço os gostos de seus filhos, mas o quê uma amiga faz na casa dela é mais ou menos isto:
    Fazer um clube do livro em casa ou com amigos dos filhos? Para estimular leituras e conversas?
    Escolher um dia da semana para fazer o clube do cinema e apresentar os filmes “antigos” (Goonies, Curtindo a vida adoidado e cia?) que seus filhos não conhecem mas deveriam conhecer? E seus amigos?
    Ou filmes que os ajudarão a pensar em outros assuntos: diferença, aceitação, etc.
    Fazer alguma forma de voluntariado? Ir brincar com crianças no hospital, ajudar idosos, cuidar de animais nos abrigos de animais?
    Plantar plantas aromáticas e cozinharem coisas novas juntos a cada dia?
    Criar uma “caixa do tédio” e escreverem idéias de coisas a fazer quando estamos sem idéias (Pegar a bicicleta e ir tomar um sorvete? Brincar com jogos de tabuleiro? Tentar construir algo com suas próprias mãos? Surpreender os anciãos da família com uma carta? Ir ao parque da cidade? Organizar um piquenique com amigos? Montar uma peça de teatro?)
    Criar uma cápsula do tempo?
    Observar pessoas nos parques e criar uma história de vida para cada uma delas?

  • Ana Cláudia Santos

    Olá meninas!
    Não sou de escrever comentários nos blogs que sigo, mas achei que já estava na hora… Ainda não tenho filhos (tomara os tenha!) mas penso exatamente como você, Carol! Temos que repensar essas férias que estão em voga. É claro que Disney deve ser o máximo (vários papais se divertem como se crianças fossem!) é que resort é coisa linda na vida (quem não gosta de ficar de pernas para o ar?). Mas e as férias no interior? E curtindo a própria cidade e a própria casa e a própria companhia? Ficaram em desuso…
    Ah, em tempo, quase sempre compartilho os posts de vocês… sabem porquê? Parece que sou eu pensando, escolhendo os programas, descobrindo Brasília…
    Então, fica aqui meus parabéns! E continuem escrevendo sobre o que eu penso, tá?
    E descobrindo coisas legais nessa cidade, para eu poder continuar curtindo Brasília!