O lugar mais hipster da cidade

Em 15 de março de 2017 por Carolina Nogueira

Quando fui a Buenos Aires ano passado, falei pra minha anfitriã Ana: a gente nem saiu de casa ainda mas já sei onde você vai me levar. Num bairro com lojinhas fofas, bandeirinhas coloridas presas na parede, restaurantes com luzinhas no teto, mobiliário meio rústico e cadeiras desparelhadas. Um letreiro escrito “adventure” e aquelas lâmpadas industriais que não acendem completamente. O hipster dominou o mundo – e isso é meio chato. Mas… como resistir, não é mesmo?

Abriu uma hamburgueria perto lá de casa que funciona dentro de um container e fica no posto de gasolina. O que pode ser mais hipster do que uma hamburgueria gurmê dentro de um container?

Além de todas as características citadas ali em cima (o letreiro escrito “adventure” não tenho certeza), vende um hamburguer ótimo cheio de bacon, tem uma batata frita incrível com alecrim tostadinho que fez meu filho descobrir que ama alecrim, tem hortinha, placas pintadas à mão, atendentes muito felizes, e um milkshake que os meninos amaram (mas precisaram dividir entre eles e tomar ao longo do dia, impossível de uma vez só).

Era sábado, eu já estava feliz por almoçar hamburguer, fui invadida pela alegria hipster da decoração bonita – agora some-se a isso uma trilha sonora incrível. Quando cheguei tocava The Cure e ao longo do almoço tocou Phoenix.

Dizem que o Páprica lota demais de noite, que os playba fazem fila na porta, e sabemos que o hipsterismo é apenas o nada embalado pra presente. Mas… como resistir, não é mesmo?

Bora?

Páprica Burguer
Eixinho Norte, altura da SQN 204
Dentro do Posto Ipiranga
(isso não é piada)
Segunda a quinta e domingo: de meio-dia a 23h
Sexta e véspera de feriados: de meio-dia a meia-noite

  • Ana Luiza Chalub

    Eu sempre passava de carro à noite e via a tal fila. Isso me desanimava um pouco. Até que, quando fui, entendi: essa fila é pra pedir e pagar, tudo junto. Apesar de ficar grande às vezes, a fila anda rápido e agiliza a vida. Gostei da comida e do serviço, mesmo eles tendo errado nosso pedido (pedimos dois sanduíches mas só veio um). Como o pessoal te chama pelo nome em um microfone, ainda dá pra fazer uma brincadeira dando um apelido, nome falso ou dizendo apenas que você se chama “Fora Temer”. Hahahaha

    • Cacau Diniz

      Ana, eu tentei … eles não falam Fora Temer… ficavam chamando pelo som : Flora … Flora… Flora… quando percebi que era meu sandubão e corrigi a moça, o gerente interveio e disse que não podiam fazer propaganda política, nem contra ou a favor do tenebroso. Percebi um olhar intrigante dos empregados, quase comecei uma discussão, ia só lembrar dos estragos que o Temer está fazendo com o país etc. Mas deixei pra lá. A fome era grande.

      • Carolina Nogueira

        Flora Temer. 🙂 Eles foram criativos.

      • Ana Luiza Chalub

        Ah, mas valeu, de qqer forma. 🙂 Deve ter sido divertido. O Luiz inventou um apelido na hora e foi engraçado na hora que o carinha chamou.